21/03/2022 às 21:09 Além de um clique

Como a fotografia pode dialogar com a arte?

14
3min de leitura

Respondendo a pergunta vou direto ao ponto. Estudando.

E me refiro a não saber apenas as datas e linhas cronológicas dos movimentos artísticos, mas o por quê da predileção dos artistas pelos temas que pintavam. Tem uma origem específica ou foi através de uma experiência vivida, por exemplo? Isso vai ficar evidente nas cores, formas, e técnicas que utilizam? É apenas um sentimento, forma de expressão, desabafo, crítica a algo ou alguém? 

Indagado uma vez por soldados espanhóis que foram “visitar” seu ateliê, e perguntado sobre o que ele fez ao avistarem a sua obra Guernica, de forma genial, pra variar, Picasso disse. “Eu não fiz nada, vocês que fizeram.” Já que a obra era uma forma de repúdio/protesto sobre a “política” do general Franco.

Analisar, por exemplo, a diferença de interpretações visuais de um mesmo tema por artistas diferentes... e assim seguir, entre variadas possibilidades para explorar, caminhando nesse fascinante mundo da arte.

Entre essas variadas possibilidades citadas, a seguir comento algumas características que bem assimiladas dialogam muito bem com a fotografia.

Iluminação: Analise a luz dos quadros, por exemplo, de Veermer, Caravaggio, Rembrandt. Muitas dessas iluminações são usadas até hoje nos estúdios de fotografia. No Impressionismo o uso da luz natural e sua variação e intensidade.

Composição: pintores como El Greco e Giotto são responsáveis por belas e interessantes composições em suas obras de temática bíblica/religiosa, por exemplo.

Na fotografia, o grande Cartier-Bresson, que tinha nas suas composições entre as suas principais virtudes, tinha como referência o pintor italiano Paolo Uccello (1397-1475) - fez parte do Quattrocento do Renascimento -, que se destaca pelas suas pinturas em perspectivas e primava pelo senso de organização das formas em suas obras. 

Cores: Observando os quadros você desenvolve a sua percepção das cores. Claude Monet, Van Gogh, Matisse, entre outros grandes nomes, serão ótimos companheiros para você neste mundo em cores.

Poses: Guarde este nome, Policleto (480 a.C – 420 a.C), apelidado de “pai da Teoria da Arte, criou junto com Fídias o Classicismo escultórico. Sabia que este escultor grego é responsável pela criação da pose “contrapposto” e que está representada na estátua do Doríforo, de Policleto, esculpida no século V a.C. 

O contrapposto depois voltou a ser utilizado na Renascença italiana por Michelangelo, Donatello e Leonardo Da Vinci e até hoje é comum ver o seu uso em ensaios e retratos...

Em 2017, ao anunciar sua gravidez, a cantora Beyoncé – teve a foto mais curtida na história das redes sociais até então – publicou alguns retratos feito com o fotógrafo etíope Awol Erizku. E acreditem, apesar dos números alcançados, teve também quem não gostou do resultado das fotos. E tudo bem isso acontecer, mas até para discordar é preciso ter conhecimento e base.

Será, por exemplo, que essas pessoas sabiam que ele tirou referência de obras como “O nascimento de Vênus, 1486 – de Botticelli. E “Vênus reclinada, 1550 – de Giorgione Barbarelli?

Criticar por criticar é muito raso, não caia nessa própria armadilha. Aliás, isso vale para a vida, muito além de fotografia e arte...

Base, conhecimento, estudo, referências... tenha certeza que por trás de toda grande obra e trabalho terá esses elementos como “inspiração”. E seja na fotografia, na música, no cinema, na pintura ou em qualquer outro tipo de representação artística.

21 Mar 2022

Como a fotografia pode dialogar com a arte?

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Tags

#Fotografia #Arte #HistóriaDaArte #FineArt #BelasArtes #GaleriaDeArte #AlémDeUmClique

Quem viu também curtiu

26 de Set de 2017

Uma prosa, uma dica e belas imagens

19 de Ago de 2017

Ela é tudo e um pouco mais

22 de Mar de 2018

Rascunhando com a luz

Olá, em que podemos ajudar? Sinta-se a vontade em me chamar no Whats.
Logo do Whatsapp